domingo, 24 de maio de 2009

O que se leva da vida é a vida que se leva...

Passei um tempinho fora, estou trabalhando temporariamente no segundo turno (13:30 - 22:30h) o que compromete demais minha disponibilidade (ainda mais por que não consigo chegar apenas 13:30h, então meio-dia já estou na Fábrica...).
Alguns updates:
- Fiz um Orkut (eca...rsrsrs);
- Abusei do MSN (:-)...rsrsrsrs);
- Recebi meu carro depois de 23 dias!!!
- Tive outra crise renal, sábado...:-(

domingo, 17 de maio de 2009

sábado, 16 de maio de 2009

...

Que semana louca! O que será que ainda vai acontecer hoje???

ps.: não que eu esteja reclamando...

terça-feira, 12 de maio de 2009

Imaginem uma dor...

Cara, eu tenho a imaginação fértil e exagerada...mas mesmo tentando imaginar uma dor forte, eu ficaria longe da sensação que senti ontem 05:30 am ao acordar...
Me descreveram essa dor uma vez, como "a sensação de urinar uma gilete". No meu caso, se eu fosse descrever seria como "mil agulhadas ao mesmo tempo num pontinho do tamanho da cabeça de um alfinete", ou "mil facadas no seu rim esquerdo dadas ao mesmo tempo", ou então...sei lá, dói demais! Acho que foi homenagem ao dia das mães, por segundo dizem é uma dor pior que a dor do parto...
Ainda bem que minha casa fica quase ao lado de um Hospital e que meu plano de saúde foi aceito (!). Depois que a dor passou tudo foi divertido, o exame de ultrassom, o exame de urina, a consulta com o urologista e principalmente a tendência de tratamento não cirúrgico!
Bom também foi ser paparicado...mas da próxima vez vou tentar conseguir isso com um simples resfriado...
ps.: não acredito muito em 'energias negativas' mas desde que tivemos que fazer um desligamento de cerca de 40 funcionários lá na empresa, tudo tem acontecido comigo...será??? Rsrsrs

domingo, 10 de maio de 2009

Maria

Eu pensei em simplesmente postar a foto e colocar que não dava pra falar mais nada.
Mas não dá né? Não dá para deixar de dizer que amo você, que independente de qualquer coisa, você é a número 001, que eu sempre estarei no seu coração e você é a dona do meu.

sábado, 9 de maio de 2009

Young for eternity

With You - The Subways
I live my life walking down this street
I meet the faces of the people I see
All the time I see your reflection
All the time I see your reflection
It's okay to feel alone
It's okay to be alone
All the time I see your reflection
All the time I see your reflection
Cause when I'm with you
It seems so easy
It seems so easy
My best days are with you
They are so easy
They are so easy
Yeah, I don't like giving up
Cause giving up is easy
And I'll see you again
Just tell me where you'll meet me
When I'm with you
It seems so easy
It seems so easy
My best days are with you
They are so easy
They are so easy, yeah!
When I'm with you
It seems so easy
It seems so easy
My best days are with you
They are so easy
They are so easy, yeah!

Sobre se expor...

Quando você nasce, você está exposto...a tudo.

Acho que coragem é diferente de falta de cautela. Acho que desejo de aparecer é diferente de sinceridade.

Também acho que escrever, não necessariamente é um caminho que passa pelo sistema de 'censura' do medo de se expor.

Dos adjetivos que posso um dia ver associados a mim, o que eu não gostaria de ver seria com certeza medroso.

Bjão - Bom FDS!!!

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Teste...putz!

Sempre cedo a testes. Podem ser aqueles testes bestinhas de revistas femininas, podem ser aqueles emails 'veja se você consegue', pode até ser um teste de Q.I adaptado...mas não resisto.
Fui conferir as milhares atualizações da Ilha de Siris e achei um teste! Melhor ainda, o teste era "Que livro é você - Se você fosse um livro nacional, qual livro seria? Um best-seller ultrapopular ou um relato intimista?". Obviamente não resisti...
Deveria ter ficado na minha, após responder 06 questões empaquei na sétima:


De cara eu já ia marcando a primeira opção (modesto, hein?)...mas fui ler as outras!
Caraca, eu devo ter múltiplas personalidades...não sei o que as pessoas diriam de mim ante esta pergunta.
Impossível saber que livro eu seria! Mais fácil seria me perguntar que livro eu gostaria de ser...

ps.: a Rafa tem razão...esqueci do link do teste!

Braveheart


Liberdade não tem preço. Todo mundo já quis instantes de liberdade total...fazer tudo sem ser visto, quem nunca pensou 'e se eu fosse invisível?'.
Mas e a liberdade real, será que existe?
Você consegue se imaginar livre de tudo? Seria possível se encontrar tendo que dar satisfação somente a você?
Ou isso tudo seria o ápice do egoísmo?

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Hoje apenas

Hoje o céu está lindo
Hoje, eu viveria com você cada aventura
Cada idéia louca, seria beautiful

Cada instante crazy, seria bonito
Hoje estou leve
Hoje, eu estaria com você em cada episódio
Cada capítulo dessa história, teria final feliz
Cada aventura, cada instante, cada episódio, cada capítulo?

terça-feira, 5 de maio de 2009

Don't Look Back in Anger

Sempre fui competitivo. Na escola, uma das minhas lembranças mais antigas é de uma colega que ficava 'disputando' ser 'melhor' da classe (em geral ela era...). Nos esportes, o mesmo, nunca gostei de perder e fazia de tudo para ganhar. Não vou mentir, continua sendo difícil perder.
Essa introdução é para ajudar a entender a minha situação. Entrei no meu atual emprego (1º e único) em nov. de 2004, como estagiário. Encarei esse estágio como se fosse realmente um emprego, com agressividade e sorte consegui ser terceirizado ao me formar (após 1 ano como estagiário). Era uma situação praticamente ideal, afinal de contas as minhas funções eram as mesmas, e o meu salário aumentou 125%. Entretanto a minha inquietação me colocou no meio de muitos processos dentro da empresa, o que culminou com um convite para passar para o quadro 'oficial' (após 1 ano como terceiro - Analista de Validação - GMP). Nesse ponto surgiu uma situação um pouco desconfortável, meu novo cargo era 'inferior' ao meu cargo como terceiro e o meu salário, na prática, menor (apesar de incluir vale refeição e plano de saúde - coisas que não utilizo) que anterior.
Novamente, eu preferi não ligar muito e apenas trabalhar, mesmo ritmo, mesma agressividade e competitividade. Porém, eu reconheço, criando muita confusão, muito atrito. Sempre pensando no melhor para a empresa, sempre 'forçando' os acomodados a se agitarem e suarem um pouquinho a camisa.
Após algumas mudanças em função da crise, recebi o convite para passar ao meu cargo atual (aumento de 30%, após cerca de 1 ano como Assistente Técnico Jr.). Ao aceitar a proposta, eu entendi que a empresa estava comprando um pacote de sucesso: trabalho+agressividade+pressão+competitividade = resultados positivos...surpresa! Na primeira reunião geral de Coordenadores recebi meu feedback 'gerencial': Seja menos agressivo, crie menos stress, resolva mais problemas...
Aquilo foi um impacto, mas estou tentando me adequar. Mesmo assim, a cada dia acho que minha performance vai caindo e me sinto um pouco acomodado. É estranho, mas deixar de ser você, mesmo que seja por algumas horas no dia, é extremamente cansativo e estressante.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Poxa, cafajeste?

Em uma análise 'aprofundada' fui definido como cafajeste. Aquilo me chocou profundamente, afinal, eu posso não saber o que sou, mas o que não sou eu sei bem...ou não?

Fui pesquisar o assunto. Achei coisas interessantes sobre o assunto. Segue uma adaptação do Blog da Mil@:

"Muitas mulheres confundem um homem canalha de um homem cafajeste, segue uma lista de diferenças entre os dois seres:
1-) O canalha transa com uma garota, sai contando pra todos os seus amigos e a descarta da sua lista; O cafajeste transa, conta só pra seus amigos mais chegados, mas mantém contato com a garota.
2-) O canalha sai beijando todas que vê pela frente na balada. É muito legal ficar disputando com os amigos quem beija mais (afinal seu cérebro parou de se desenvolver aos 14 anos de idade); O cafajeste escolhe uma só, a mais interessante, fica com ela a noite toda por que se não sair do lugar pra transar com ela, vai transar num outro dia.
3-) O canalha não sabe tratar bem uma mulher. É grosso, mal-educado, destrata pessoas humildes ou empregados como prova de superioridade; O cafajeste sabe quando e em que intensidade agradar. Compra chocolate, bichinhos-bonitinhos-de-pelúcia e leva a restaurantes finos, com o único objetivo de fazer a mulher se sentir valorizada e assim alcançar seu objetivo final (sexo).
4-) O canalha é burro. Seu senso crítico limita-se a análise do gol mais bonito da semana ou de qual a mais gostosa do Big Brother; O cafajeste sabe se virar em qualquer assunto, se é necessário discutir sobre a moda da estação na frente de mulheres ele vira um estilista, se a garota é fã de Chopin ele se torna um frequentador de concertos, etc.
5-) O canalha adora aparecer. Estufa o peito na frente das mulheres, faz piadas prontas, é o amigão de todo mundo e só sabe contar vantagem; O cafajeste não precisa de auto-promoção, o boca a boca é feito pelas próprias pessoas que estão ao seu redor. Ele se adapta ao ambiente mudando sua personalidade de acordo com a ocasião.
6-) O canalha mente; O cafajeste omite.
7-) O canalha não sabe elogiar (ou xavecar, como se diz em sampa). Quando tenta, é tão ruim que se torna uma cantada de peão, “uau, que gata!”, “que delicia”, “ô lá em casa”; O cafajeste sabe elogiar os pontos-chaves da mulher, “nossa, lindo o seu cabelo”, “que sorriso”, “você emagreceu?”.
8 -) O canalha não sabe cuidar de mais de uma mulher. Acaba confundindo nomes, esquece de ligar pra uma, dá mais atenção pra outra, deixa pistas, etc; O cafajeste sabe tratar todas por igual, quando não está afim de sair com uma ele liga ou manda um sms “bonitinho” pra não perder contato. E mesmo que a mulher saiba que ele é um cafajeste, ele a faz crer que é especial e que pode rolar algo sério.
9-) O canalha deixa pista. Seu scrapbook é lotado de recadinhos de mulheres, no subtitle do seu msn ele cita nomes de mulheres, seu celular está cheio de mensagens comprometedoras e sua mãe sempre entrega o jogo; O cafajeste apaga todas as pistas, seu scrapbook é apagado diariamente, o msn tem nicks abrangentes que podem ser adaptados pra qualquer uma, o celular nunca tem mensagens, e sua mãe é grande aliada pois ele sempre diz pra ela que foi na casa de um amigo.
10-) Canalha é substantivo; O cafajeste, adjetivo."

Ainda não concordo que eu seja um cafajeste, por uma simples questão de não compartilhar seu 'objetivo final'. Mas pelo menos descobri que é melhor ser confundido com um cafajeste que com um canalha...

domingo, 3 de maio de 2009

Sangue Alvinegro

Não lembro a última vez que sofri torcendo. Não faz mais parte da minha vida. Mas como gosto muito de futebol, continuo assistindo sempre que não há nada mais importante os jogos dos meus times e claro do Brasil.

Não posso deixar de registrar o segunto tempo do jogo de hoje no Rio, Botafogo x Flamengo. Contra todas as dificuldades de elenco em função das restrições financeiras e problemas no departamento médico, o Glorioso deu uma lição de raça e superação. O empate valeu o jogo!

Vão me falar, e daí? Vocês foram vice pela terceira vez. Eu sinceramente não me importo. Me emocionei, torci e admito, resignado, que era improvável ganhar do Flamengo nos pênaltis (Bruno é especialista nesse fundamento, Renan tem que comer muita grama ainda...).

Parabéns à diretoria pela coragem de assumir o risco da seriedade fiscal e continuem assim, o caminho é esse.

Sangue Alvinegro! Glorioso até o fim!

06:09 A.M

Outra batalha épica contra o meu relógio interno, o miserável me acordou as 06:09 a.m. Eu disse a mim mesmo, vou dormir pra c... hoje, já que amanhã é segunda-feira! Beleza, dormi...
07:43 a.m. acordei de novo...não dá! Assim não dá!
Desisti de lutar e levantei, tá frio aqui...desci, não tomei banho, escovei os dentes, assisti a Moto GP (Valentino Rossi é incrível!) e fui sair no carro de João pra levar Maria ao Supermercado...
Pneu furado...rsrsrs, pensei em trocar, mas deixei pra volta.
Convidei Maria pra ir caminhando (1,5 Km é uma boa prum domingo nublado)...caminhada boa, conversa de mãe para filho, faz falta às vezes alguém que chame nossa atenção.

Chegamos no Supermercado e a primeira coisa que ouvi no sistema de som foi:

"- Devido a problemas com a Embratel nosso sistema de cartões de crédito está fora do ar, desculpe o transtorno."

Pensei com meus botões, "O caixa eletrônico também vai estar fora do ar..."...adivinhem?

Aproveitamos para sorrir da minha grande sorte (se bem que ultimamente tem sido melhor ter sorte no amor e azar no resto...) e voltar sorrindo para casa. Foi lucrativa a viagem, ao invés de 1,5 Km, fizemos 3 Km e eu ainda comprei uma Havaianas amarela na Farmácia...

ps.: troquei o pneu do carro do meu irmão, a dívida com ele ainda é grande, mas eu chego lá!

sábado, 2 de maio de 2009

07:32 A.M.


07:32, acordei (sempre muito cedo, sempre achando que já era mais tarde...). Desci com a toalha verde enrolada, procurei a pasta, não achei minha escova...após uma pequena Waterloo com minha memória lembrei em qual banheiro havia deixado, escovei os dentes. Perdi a consciência, recobrei no sofá da sala...assisti o Especial Ayrton Senna, chorei, tomei banho e resolvi correr (melhor decisão da manhã). Mudei do visual toalha para o visual academia e (não aqueci, alonguei, ou qualquer outra coisa que com quase 30 você deve fazer...) corri. Para onde não foi uma decisão cerebral, as pernas estavam no comando. Correr ativou minha capacidade de observação...de repente eu estava no meio de mulheres que juravam estar na Índia (e que devem achar que ser um Dalit (?) é romântico), de carros ano 88 com adesivos 'carro do ano', de ônibus a 70 Km/h tirando um fino de mim (ops, melhor voltar para a calçada!). Resisti bravamente em frente à concessionária (que tentação é essa ver preço de carro...). Entrei no Supermercado para tomar um café da manhã saudável...2 pasteis de queijo, uma mini-lasanha e 2 latinhas de coca-cola (delícia, me lembrei das viagens para congressos...), lembrei de comprar um chinelo (o meu foi roubado junto com o carro - detalhe 2 chinelos roubados em uma semana...só acontece comigo!), não tinha tamanho 41, resolvi ir ao Itaú. Precisava amenizar o saldo púrpura da minha conta, fiz o depósito após outra Waterloo para abrir a porta 'automática' da Agência. Corri de volta para casa, minha manhã estava ficando estranhamente perigosa. Senti algo úmido pingar na minha cabeça, estranho, não ouvi barulho de pombos voando...outro pingo no braço, olhei para cima...lembrei que São Luís agora tem clima Equatorial...cheguei em casa com a alma ensopada, mas feliz. Olhei o relógio, 09:32 A.M., estranho...vou fazer isso mais vezes...

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Colhe o dia, confia o mínimo no amanhã


"Carpe diem quam minimum credula postero
Tu ne quaesieris, scire nefas, quem mihi, quem tibi
finem di dederint, Leuconoe, nec Babylonios
temptaris numeros. ut melius, quidquid erit, pati.
seu pluris hiemes seu tribuit Iuppiter ultimam,
quae nunc oppositis debilitat pumicibus mare
Tyrrhenum: sapias, vina liques et spatio brevi
spem longam reseces. dum loquimur, fugerit invida
aetas: carpe diem quam minimum credula postero"
"Odes" (I,, 11.8) by Horácio

Tudo que inspire a aventura, o desejo de liberdade, a necessidade de criatividade, a vontade de viver deve ser alimentado, cuidado, estimulado e executado agora!
Mais do que nunca vale a alegria, o suor, o êxtase, a conquista do hoje. O ontem e o amanhã não existem, apenas o hoje pode ser tocado!